14 março 2006

262) Bon soir tristesse: voilà la lassitude qui arrive...

Não sei se o mesmo sentimento assalta ocasionalmente alguns dos meus leitores, mas tem dias em que eu me sinto, como dizer?, deprimido...
Não, não tem nada com acordar eventualmente de mau humor, ou frustrado, por algum motivo noturno: é justamente no decorrer do dia que o sentimento de frustração e de desesperança vai me invadindo devagar, até chegar, no final do dia, a esse sentimento de lassidão a que me refiro no título.
Isso ocorre depois de um dia inteiro lendo ou ouvindo notícias e informações nos jornais e na rádio sobre o estado lamentável da nossa conjuntura política, que talvez mais se assemelhe a uma estrutura sólida e durável de falcatruas e malversações. Sim, meu estado de espírito se deve ao conhecimento que não cessa de nos invadir, falando sobre a desfaçatez, a roubalheira disseminada, a cara-de-pau inacreditável de toda uma tribo de políticos desavergonhados que passeiam suas falcatruas tranquilamente pelas páginas de política dos jornais, quando eles deveriam normalmente ocupar as seções de crimes e atentados aos bons costumes.
Fico com a impressão de que há muito mais para vir à tona, e que o festival de crimes a que já assistimos não é senão a ponta de um iceberg muito mais vasto e profundo de patifarias de toda a espécie, delitos que caberiam em vários capítulos de um grosso volume do código penal, sem ressalvar nenhum poder ou instância governamental...
Será que a coleção de bandalheiras não terá mais fim? Até quando eles abusarão de nossa paciência?
E o pior é que vozes vêm se erguendo cada vez mais freqüentes em favor do voto nulo, quando esse tipo de resposta é a pior receita possível para se combater, pelo menos parcialmente, o ambiente de deliqüência que se instalou na política brasileira. O voto nulo é o caminho mais seguro para a eleição ou a continuidade de bandidos declarados, uma vez que eles já estão decididos a comprar a sua eleição. O voto nulo redundará assim em que os poucos bem intencionados e o pequeno punhado de honestos e idealistas serão afastados de um mandato na próxima legislatura.
Entendo que as pessoas estejam com raiva, mas, por favor, não cometam mais uma burrice que só irá reforçar o bando dos traficantes de mandatos, dos negociantes em causa própria, dos delinqüentes de gravata.
Façam campanha contra o voto nulo. Votem nos que lhes parecerem mais honestos e menos demagogos, mas votem, por favor...

Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 14 de março de 2006

1 Comments:

Blogger Santa said...

Roberto, o sentimento de frustração é o mesmo, mas culpar o voto seria miopia. Ao contrário, o que falta ao brasileiro e mais voto, mais plebiscitos e referendos, mais participação, mais democracia direta, isto sim. Precisamos é retomar a nossa capacidade constituinte.

Um beijo

terça-feira, março 14, 2006 6:20:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home